Liberdade

73ee681eb56474bf347a85ea82fe6e56

O rebelde está em um estado de tremendo amor pela liberdade – liberdade total, nada menos do que isso. Daí ele não ter salvador, mensageiro de Deus, messias ou guia algum; ele simplesmente vive de acordo com sua própria natureza. Ele não segue ninguém, não imita ninguém. Certamente ele escolheu o modo de vida mais perigoso, cheio de responsabilidades, mas de uma alegria e liberdade tremendas.

Ele muitas vezes falha, comete erros, mas nunca se arrepende de nada, porque aprendeu um profundo segredo da vida: ao cometer erros você se torna sábio.

Não existe outra maneira de se tornar sábio.

Ao extraviar-se, você conhece mais claramente o que está certo e o que está errado, porque tudo aquilo que lhe dá miséria, sofrimento, que torna sua vida uma escuridão sem fim, sem amanhecer.. isso significa que você se extraviou. Perceba-o – e volte novamente para o estado de ser onde você está em paz, silencioso, sereno, uma fonte de felicidade, e estará novamente no caminho certo. Não existe outro critério além desse.

Estar em estado de graça é estar certo.
Estar infeliz é estar errado.

OSHO


 

  • “Um homem em sintonia com o misterioso é humilde, carinhoso, atencioso, aceitando a singularidade de todos. Ele é alegria na liberdade de cada um, porque só com a liberdade pode este jardim da humanidade ser um lugar rico”.

  • “Uma pessoa inteligente está interessada em conhecer a si mesma.”

  • “Não possua nada. Se algo estiver ao seu alcance, desfrute. E quando se for, deixe que se vá com o coração cheio de gratidão”.

  • “Quando há dependência não há maturidade nem amor, há necessidade. Usa-se o outro – o que é desamoroso. A maturidade vem com o amor e acaba com a necessidade. Amor é luxo, abundância. É ter tantas canções no coração, que é preciso cantá-las, não importando se há quem ouça. Duas pessoas maduras que se amam, ajudam-se a se tornarem mais livres. Liberdade, moksha, é um valor mais elevado que o amor. Por isso é que o amor não vale a pena se destrói a liberdade”.

  • “Nunca houve uma pessoa como você antes, não existe ninguém como você agora no mundo todo, e nunca haverá alguém como você. Basta ver o quanto Deus tem respeito para com você. Você é uma obra-prima – irrepetível, incomparável, absolutamente única. Mesmo o coração mais duro, o coração de pedra vai começar a derreter em gratidão”.

  • “Na medida que sua consciência cresce (por meio da meditação), a sua liberdade cresce. Elas são correlacionadas. Seja mais livre e você será mais consciente; seja mais consciente e você será mais livre”.

  • “Para uma vida mais leve, uma vida mais divertida, você precisa ser flexível. Torne-se mais e mais inocente, menos experiente e mais infantil. Leve a vida como uma diversão – porque isso é precisamente o que é! Você tem que lembrar que a liberdade é o valor mais alto, e se o amor não é o que lhe dá a liberdade, então ele não é amor”.

  • “Solte a culpa! Porque sentir-se culpado é viver no inferno. Não sendo culpado, você terá o frescor de gotas de orvalho no sol da manhã, você vai ter o frescor de pétalas de lótus no lago, você vai ter o frescor das estrelas na noite. Uma vez que a culpa desaparece, você vai ter um tipo totalmente diferente de vida, luminosa e radiante. você terá uma dança a seus pés, e seu coração vai cantar mil e uma canções “.

  • “A liberdade é o nosso mais precioso tesouro. Não o perca por coisa alguma”.

  • “Você está fora da prisão, fora da gaiola; Você pode abrir suas asas e todo o céu é seu. Todas as estrelas e a lua e o sol pertencem a você. Você pode desaparecer no azul do além …. Basta soltar o apego a esta gaiola, saia da gaiola e todo o céu é seu. Abra suas asas e voe através do sol como uma águia.No céu interior, no mundo interior, a liberdade é o valor mais alto – tudo o resto é secundário, cheio de bem-aventurança e êxtase. Existem milhares de flores, incontáveis, mas todas elas se tornam possíveis no clima de liberdade.”

  • “Deixa a liberdade sempre ser respeitada. Isso é que é o amor: um respeito para com a liberdade do outro,um respeito para com a natureza do outro”.

  • “Agora, para onde quer que você olhe, você olha com um coração aberto – essa abertura de coração muda a qualidade de tudo. E você não pode sentir que algo vá ser nocivo; você não pode perguntar como se defender – não há necessidade. A necessidade surge por que você está fechado”.

  • “Não tente fingir ser outra pessoa, não tente mostrar o que você não é. Não seja egoísta, e não finja sorrir enquanto seu coração está chorando. Não sorria se seus olhos estão cheios de lágrimas. Não seja inautêntico, porque por ser inautêntico você está simplesmente protegendo seus ferimentos de serem curados. Todo o seu ser se tornará podre. ”

     

  • Tudo o que é grandioso não pode ser possuído.

  • Não fique preocupado com críticas e não se interesse por elogios. Se você estiver interessado em ser elogiado pelos outros, então você não pode ficar sem se incomodar com as críticas. Permaneça à distância. Crítica ou elogio, tanto faz.

 


Se você ficar preocupado com as opiniões alheias, estará se condenando a permanecer em constante ansiedade.

– Osho –


  • A Terra é linda. Se você começar a viver a sua beleza, apreciando suas alegrias sem culpa em seu coração, você está no paraíso. Se você condena tudo, cada pequena alegria, se você se tornar um condenador, um envenenador, então a Terra mesmo se transforma em um inferno – mas só para você. Depende de onde você mora, é uma questão de sua própria transformação interior. Não é uma mudança de lugar, é uma mudança de espaço interior.

DESAPEGUE-SE, DESFRUTE MAS PERMANEÇA LIVRE

O apego traz miséria, o desapego traz bem-aventurança. Assim, use as coisas, mas não seja usado por elas. Possua coisas, mas não seja possuído por elas. Tenha as coisas – isso não é um problema. Não sou a favor da renúncia. Desfrute tudo o que a vida dá, mas sempre permaneça livre. Se os tempos mudarem, se as coisas desaparecerem, não fará diferença para você. Você pode viver em um palácio ou em um barraco… você pode viver igualmente feliz sob o céu.A consciência constante de que não deveríamos nos apegar a nada torna a vida bem-aventurada. Podemos desfrutar imensamente tudo o que está disponível, e é sempre mais do que podemos desfrutar, e está sempre disponível! Mas a mente é demasiadamente apegada às coisas – tornamo-nos cegos à celebração que está sempre disponível.

Há uma história de um mestre Zen. Uma noite um ladrão entrou em sua cabana, mas não havia nada para roubar. O mestre ficou muito preocupado com o que o ladrão iria pensar. Ele tinha vindo da cidade, distante cerca de seis a sete quilômetros, e a noite estava muito escura… O mestre tinha somente um cobertor, que ele estava usando – aquela era a sua roupa, a sua coberta, tudo. Ele colocou o cobertor em um canto, mas o ladrão não enxergou no escuro; assim, o mestre precisou dizer-lhe que pegasse o cobertor, implorou que ele o recebesse como presente, insistindo em que ele não deveria voltar com as mãos vazias. O ladrão ficou muito perplexo e se sentiu tão constrangido que simplesmente escapou com o cobertor. O mestre escreveu um poema dizendo que, se fosse capaz, teria dado ao homem a lua. E sob a lua naquela noite, nu, ele desfrutou o luar mais do que nunca.

A vida está sempre disponível, e mais do que você pode desfrutar; você sempre tem mais do que pode dar. A própria idéia de se apegar a alguma coisa o torna pobre, miserável.

Osho, Above All Don’t Wobble


A liberdade não pertence ao eu. A liberdade é sair do eu. Você não está mais ali, eis por que você está livre. Se você estiver ali, jamais poderá ser livre. Você é a prisão.


“Rebelde é aquele que não reage contra a sociedade, é aquele que compreende todo o jogo e simplesmente cai fora dele. O jogo passa a não fazer sentido para ele. Ele não é contra o jogo. E essa é toda beleza da rebelião: trata-se de liberdade. O revolucionário não é livre. Ele está o tempo todo lutando contra algo – como pode haver liberdade na reação?
Liberdade significa compreensão. A pessoa compreende o jogo e, ao ver que ele é um modo de impedir a alma de crescer, um modo de não permitir alguém de ser quem é, ele simplesmente o abandona sem que ele deixe marcas na sua alma. A pessoa perdoa e esquece, seguindo em frente sem nada que a prenda à sociedade em nome do amor ou em nome do ódio. A sociedade simplesmente desaparece para o rebelde. Ele pode viver no mundo ou pode sair dele, mas não pertence mais a ele; é um forasteiro.”

Osho


A liberdade com relação a algo não é liberdade de fato. A liberdade para fazer tudo o que se quer também não é a liberdade a que estou me referindo. Minha visão de liberdade é ser você mesmo.
Não é uma questão de ficar livre de algo.
A liberdade para fazer tudo o que se quer também não é liberdade, pois o querer, o desejo de ‘fazer’ alguma coisa, vem da mente – e a mente é o seu cativeiro.
A verdadeira liberdade é fruto da consciência que não escolhe é a liberdade de simplesmente ser você mesmo. E você já é você mesmo; você nasceu assim. Portanto, isso não depende de nada mais. É algo que ninguém pode dar a você e ninguém pode tirar de você. Uma espada pode cortar sua cabeça, mas não pode cortar a sua liberdade, o seu ser.
Esse é outro modo de dizer que você está centrado, enraizado no seu eu natural, existencial. Não tem nada a ver com o exterior.
A liberdade com relação às coisas depende do exterior. A liberdade para se fazer algo também depende do exterior. A liberdade para ser absolutamente puro não tem de depender de nada exterior a você.
Você nasceu livre. Só que foi condicionado para esquecer isso. Camadas e mais camadas de condicionamento fizeram de você um fantoche. Os fios estão nas mãos de alguém. Se você é cristão, você é um fantoche. Os seus fios estão nas mãos de um deus que não existe, então, só para dar a você a sensação de um deus que existe, há profetas, messias, que representam deus.
Se você conseguir se livrar de todos os seus condicionamentos, se conseguir pensar que não é nem comunista nem fascista, que não é nem cristão nem muçulmano…
Você não nasceu cristão nem muçulmano; você nasceu apenas como uma consciência pura e inocente. Ficar novamente nessa pureza, nessa inocência, nessa consciência é o que chamo de liberdade.
A liberdade é a experiência máxima da vida. Não há nada que supere isso. E a liberdade faz com que muitas flores desabrochem em você.
O amor é a florescência da sua liberdade. A compaixão é outra florescência da sua liberdade.
Tudo o que tem valor na vida floresce na inocência, no estado natural do seu ser.
Portanto, não associe liberdade a independência. A independência vem naturalmente de alguma coisa, de alguém. Não associe liberdade a fazer coisas que você quer fazer, pois essa é a sua mente, não você. Quando quer fazer algo. deseja fazer algo, você está no cativeiro do querer e do desejar. Com a liberdade a qual estou me referindo, você simplesmente é – em silêncio absoluto, serenidade, beleza, bem-aventurança.
Osho


 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s